SEJA UM MEMBRO, CLIQUE EM PARTICIPAR DESTE SITE.

Seguidores

domingo, 19 de abril de 2015

DIA DO ÍNDIO

                                                
ARTE E VOCABULÁRIO PATAXÓ


TRANÇADOS PRODUZIDOS PELOS ALUNOS


    “O índio não é uma questão de cocar de pena, muçum e arco e flecha, mas sim uma questão de ‘estado de espírito’. Um modo de ser e não um modo de aparecer. Na verdade, mais do que isso, a indianidade designa um modo de devir (vir a ser, tornar-se, transformar-se.)”. Eduardo Viveiros de Castro, antropólogo


A Cultura Indígena é tema constante de estudos, pesquisas e leituras em nossa escola. O indígena não é um personagem do nosso passado e nesse 19 de abril, deixamos a mensagem: " NÃO PODEMOS APAGAR O INDÍGENA DA NOSSA HISTÓRIA."

 



 "Manter-se vivo é a maior contribuição que o índio pode dar ao Brasil."

 

Foi também por conta da curiosidade que, aos 15 anos, Daniel Munduruku deixou para trás a aldeia, formou-se em Filosofia, especializou-se em História e Psicologia e tornou-se um dos primeiros índios doutores do Brasil.

O confronto entre a tradição do povo munduruku e a vida na cidade ele transformou em histórias. E as histórias em instrumentos de diálogo.

“Como educador, percebi que éramos dois povos assustados um com o outro. Era preciso aprender com as diferenças.

” Com 40 livros publicados – voltados sobretudo para as crianças –, Daniel acredita que, apesar dos avanços, ainda há muito a fazer para que os povos indígenas sejam realmente reconhecidos dentro da pluralidade cultural brasileira.

DANIEL MUNDURUKU
DANIEL MUNDURUKU
Questionado qual seria a principal contribuição do índio para a cultura brasileira, ele não vacilou:
“Manter-se vivo. Se resistirem, esses povos garantirão uma riqueza cultural, espiritual e moral que só bem faz ao Brasil.” [...]

Escrito por João Rocha




                                                                       

  

sábado, 29 de novembro de 2014

CONFRATERNIZAÇÃO

FORMATURA - PROERD 2014

O Programa Educacional de Resistência às Drogas – PROERD consiste num esforço cooperativo da Polícia Militar, Escola e Família, visando através de atividades educacionais em sala de aula, prevenir o abuso de drogas e a prática de atos de violência entre estudantes do Ensino Fundamental no país.